domingo, 26 de outubro de 2008

Opinião: e o PT elegeu Duciomar pela segunda vez...



Poucos candidatos no Brasil, devem tanto ao Partido dos Trabalhadores (PT) quanto Duciomar Costa. Sim, o atual Prefeito, reeleito ao segundo mandato só obteve suas duas vitórias em eleições majoritárias graças a cooptação neoliberal que assolou o PT a partir de 1994.
O ex-campo majoritário, tendência interna do partido, atualmente denominada de Construindo um Novo Brasil, ainda majoritária nas fileiras internas, desde a derrota nas eleições presidenciais pós-89, mudou paulatinamente a sua orientação política, baseado no pragmatismo eleitoral e na agenda neoliberal para América Latina, imposta pelo imperialismo estadunidense através dos mecanismos internacionais que controla, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional. Em conseqüência levou o PT junto.
O processo histórico de formação do PT, o verdadeiro partido de massas brasileiro, ocorreu da única maneira que se conhece tal concepção, pela base. Mais especificamente, pelos núcleos de base, das comunidades eclesiais de base (CEBs), pastorais e movimentos sociais de toda sorte, aliados a setores progressistas da classe média. A partir das avaliações das derrotas de 89 e 94, principalmente essa última, a direção do partido, ligada ao ex-campo majoritário, que tinha José Dirceu (esse ser acima de qualquer suspeita!) na presidência, reforma a estrutura partidária transformando-a em uma máquina eleitoral, azeitada mais e mais a cada processo eleitoral.
É importante frisar que não há mal nenhum em disputar e ganhar eleições, muito menos em governar, mas os sacrifícios que podem ser impostos ao partido e à sociedade como um todo superam e muito os ganhos imediatos advindos das estruturas de poder institucional. Adiando o processo de mudanças e desenvolvimento social.
Esse seqüestro do partido, culmina no famoso "escândalo do mensalão". Nesse momento, alguns petistas moderados, que eventualmente lerem este texto, devem estar de cabelo em pé... sim, o "escândalo do mensalão", que mesmo distorcido, inflado, abafado, esquecido e ressuscitado inúmeras vezes, expôs as vísceras da quadrilha que estava a frente do partido. E não peço desculpas aos envolvidos pelo termo, ao contrário aguardo tal gesto dos mesmos, pois os resultados desses crimes para o partido, a sua militância e a sociedade brasileira não poderão jamais ser ressarcidos.
Dentre os inúmeros indícios de fraudes, caixa dois eleitoral, tráfico de influências, sonegação fiscal etc., gostaria de relembrar um, cerne deste artigo. O financiamento das campanhas do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) nas eleições de 2002, sim aquele do Roberto Jefferson e do nosso ilustre prefeito.
O ex-presidente do PTB, Roberto Jefferson (outro de reputação ilibada...), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, que virou a "CPI do mensalão", após ser acuado revelou que o seu partido havia recebido recursos do PT para financiar suas campanhas eleitorais. Lembro que assisti posteriormente o depoimento na cobertura da imprensa e ri desesperado, num misto de descrença e repulsa. Esse fato, depois comprovado no decorrer das inconclusas e deturpadas investigações, implicava outro, não menos lastimável.
O "escândalo do mensalão" não se tratava de subsídios diretos e periódicos a parlamentares para comporem a base de governo no primeiro mandato do Presidente Lula e votarem a favor de suas propostas, como quis sugerir Jefferson e, até hoje, jura de pés juntos a grande mídia. Vide as derrotas no governo no Congresso, na época, em temas centrais. Se tratava sim de subsídio direto aos partidos da base aliada (grande diferença...) através de um esquema originário dos tucanos (motivo pelo qual as investigações mudaram o foco).
O esquema batizado de "valerioduto", em alusão a um dos seus operadores (peixe pequeno) Marcos Valério, consistia no mais velho hábito de corrupção da vontade política dos povos, nas democracias liberais e representativas, que nada mais é do que os detentores de riqueza e renda comprando (ou forjando, como queiram) agentes políticos para favorecê-los através do governo (motivo pelo qual as investigações pararam). A única novidade (para todo o Mundo, menos a Rede Globo...) era como estava se dando a falcatrua. Os mega-empresários brasileiros (muitos, fantoches do capital internacional sem rosto), através dos financiamentos, lícitos ou não (como se fizesse alguma diferença!), de campanhas eleitorais estabeleciam o sistema de trocas de favores, ou lobby (profissão ainda hoje exercida por José Dirceu). Coisa mais velha que luz de lamparina...
A triste novidade era ver um partido genuinamente do povo, sendo tragado, contra a vontade de seus membros, para a ciranda da riqueza e poder que perpetua a exploração da população pobre no Brasil e no Mundo.
Dando nome a alguns bois, o ilustríssimo Daniel Dantas, foi um dos escolhidos (entre os brasileiros) como beneficiário do maior roubo recente que se tem notícias no Brasil, o marco da política neoliberal de diminuição do estado e desregulamentação da economia, as privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso (FHC). Escolhido, modo eufemístico de dizer, pois FHC e seus pares neoladrões da América Latina, nada mais eram do que lacaios do grande capital. Com o enriquecimento através de informações privilegiadas, manobras especulativas e controle de grandes fundos de investimento, o cidadão menos ilustre da república, Sr. Dantas, alimentou as empresas publicitárias de Marcos Valério (DNA e SMP&B), através da sua Brasil Telecom, e o peixinho careca (entre um cardume) nadava de braçada pelos meandros do poder, arrebatando a classe política dirigente do país de Eduardo Azeredo ao, não menos ilustre, José Dirceu.
E o que o Duciomar e Belém tem haver com tudo isso? Vocês podem estar se perguntando...
Tudo, oras!
O mais ilustre charlatão de Belém foi um dos candidatos beneficiários diretos da grana do "valerioduto", filiado ao PTB, teve a sua campanha (inexplicavelmente, à época, muito rica) majoritariamente sustentada nessa pouca vergonha, aliás, coisa que ele e seus pares desconhecem. Vergonha?! Se comi com farinha, isso?
Outra pergunta que não quer calar. E se o esquema do "valerioduto" foi desmantelado (apesar de, obviamente outros terem surgido...), porque o PT elegeu pela segunda vez o segundo aluno mais aplicado da UNAMA, depois de Rominho Maiorana?
Eu respondo.
Sendo o PT o único partido da esquerda com chances de disputar a Prefeitura de Belém. E ainda refém, mesmo que em parte, da sua velha cúpula, que tenta emplacar desde as últimas eleições o sucessor do seu chefão no estado. Aquele que recebia o dinheiro do esquema, através da assessora... lembrou? Sim, o Deputado Federal Paulo Rocha. Que teve inclusive que renunciar seu mandato à época, para não ser cassado como o seu comparsa José Dirceu foi. E, em decorrência disso, afundou suas chances em eleições majoritárias, chances essas que eu tenho cá, com os meus botões, jamais se concretizariam ou por paura ou incompetência do distinto cidadão. Logo, para substituí-lo a altura de sua competência, foi projetado o nosso ex-candidato a prefeito, maior apoio que Duciomar recebeu para sua reeleição. Mário Cardoso, que só não foi o candidato (com certeza derrotado) ao Governo do Estado, porque nem o próprio campo majoritário teve coragem de sustentá-lo frente a nossa Governadora, Ana Júlia Carepa, muito à frente nas pesquisas.
Cardoso, que inclusive foi Secretário de Educação do atual governo do estado, por exigência do ex-campo majoritário, jamais gozou de carisma popular, oratória privilegiada e, na minha humilde opinião, compartilhada por boa parte dos seus colegas de universidade, também não possui um intelecto, digamos assim, privilegiado. Com todo o respeito que eu possa ter pelo professor Mário, a despeito da minha notória arrogância (da qual nada me orgulho e me esforço em superar), a nossa estrela dessas eleições jamais brilhou.
Aos que discordam, vamos aos fatos. Em nenhum momento da sua trajetória política, o prof. Mário, quando teve seu nome sondado pelas pesquisas, apareceu com chances de vitória. Pode se argumentar que a ala à esquerda do PT, como a corrente a qual pertenço (DS), não se jogou na campanha, os quadros do governo não teriam contribuído etc. Mas se assim o foi (o que discordo), o que explica um candidato que não conseguiu conquistar um votinho a mais do que a própria legenda petista detém como cativo no eleitorado? Talvez o candidato não tenha empolgado parte da militância porque essa também é parte do povo, e esse meus amigos, realmente ele não empolgou.
Por esses motivos, creio que o PT elegeu Duciomar Costa mais uma vez. Opinião pessoal que me reservo ao direito de expressar enquanto militante do PT desde o início da minha atuação social, eleitor do prof. Mário (nas últimas duas eleições, para Senador e Prefeito) e do PT (em todas as eleições que participei). Não acredito que haja alternativa (e nem que seja preciso uma) a construção de uma sociedade mais justa, socialista, fora dos marcos do PT (assunto para outro artigo...), só não me furtaria jamais de exercer a crítica, pois essa, que por muito tempo foi criminalizada dentro do partido, é com certeza uma das formas de fortalecê-lo. Quanto ao apoio, no segundo turno, ao candidato Priante prefiro nem comentar...
Registro também, que não vislumbro candidata/o em alternativa ao prof. Mário no processo que passamos, ao menos não na mesma proposta de candidatura. Pois se fosse para projetar um quadro e constituir base eleitoral para disputas futuras, ainda bem, o PT teria de sobra.
Também não vejo o processo eleitoral brasileiro como satisfatório, ao contrário, a reforma política, alcançada somente com a proposta de Assembléia Constituinte Exclusiva, é a única saída para superarmos as eleições do marketing e passarmos a um período de disputa de programas, de embates entre partidos e projetos, não essa atual escolha de Miss/Mister Sabe Tudo. Quem acha que a história, o destino dos povos, as mudanças, a própria política, se faz através de personagens e não da coletividade, necessita reavaliar suas posições, mais uma vez na minha humilde opinião.
Boa sorte Belém, apesar de achar que nem ela nos salvará de mais 4 anos de Dudu. O povo de Belém não tem o governo que merece!

Um comentário:

  1. Não pude deixar de ecomentar!
    Estou altamente contemplada pelo texto, inclusive pela parte da arrogância( na minha humilde opinião)ehehehhe...

    bjus

    ResponderExcluir

Somente comentários respeitosos serão aceitos, incluindo críticas, sugestões, dúvidas, elogios, opiniões etc.