terça-feira, 3 de março de 2009

Serra Pelada, uma viagem no tempo



A Serra Pelada foi um destino "turístico" (prefiro um "caminho de mochileiro") pra mim, devido a sua história. É um verdadeiro emblema brasileiro da injustiça, terras públicas riquíssimas que foram ocupadas por trabalhadores e trabalhadoras de todo o Brasil de forma desordenada e desassistida, para depois terem seu direito a trabalhar a terra negado.

Hoje, uma vila que (não sei onde cabia) já teve centena de milhares, restam menos de dez mil habitantes. Os que lá ficaram, sonham com a indenização de seus direitos negados pelo estado. Essa é a Serra Pelada hoje, uma vila que parou nos anos 80, a espera de justiça.

Foi muito gratificante conhecer essa história in loco. Fui na mesma semana aos dois extremos paraenses, a Vila de Carajás, para os empregados da Vale, construída e organizada aos moldes norte-americanos, com toda infra de saúde, transporte, lazer, segurança, educação que se pode ter. E a sua antítese, a vila dos excluídos da Vale, com todo o descaso que não se poderia ter num conglomerado urbano.

Fora isso, Serra Pelada esconde grande beleza, uma beleza perigosa. Por trás de seus igarapés e cascatas de água cristalina, seu clima temperado, montanhas de ouro, ferro, cristal, há um perigo invisível a primeira vista, mas que se mostra no primeiro garimpo ilegal que se encontre, o mercúrio (ou azougue, como é chamado lá), que mata diariamente a vida que se aventurar por aquelas bandas. Fiz uma pequena expedição atrás dos garimpos ilegais e encontrei pessoas em condições degradantes, expondo-se ao contagio de doenças, aos desmoronamentos, ao envenenamento por mercúrio.

Nessa expedição pude sentir uma pouco o dilema do povo sofrido de lá.
Imagine você viver, cercada de riquezas, tão perto que por vezes se tropeça nelas, e estar sendo constantemente vigiado. Não se dá um passo fora da vila, longe dos olhares da guarda da Vale, que protege as montanhas de trilhões de dólares, outrora do povo, agora do mercado internacional. Ficamos no acampamento dos Movimento dos Garimpeiros e Trabalhadores da Mineração (MTM), que lutam junto com outros pelos nossos direitos.

Serra Pelada é uma viagem fantástica, uma viagem para o nosso passado de injustiça e violência na Amazônia, uma história triste, mas imperdível!

Confira mais fotos do mochilão:
Serra Pelada, uma viagem no tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somente comentários respeitosos serão aceitos, incluindo críticas, sugestões, dúvidas, elogios, opiniões etc.