quinta-feira, 2 de abril de 2009

Economia e mudanças climáticas

Do Blog do Nassif

Por Haroldo Werneck

Nassif,

Gostaria de destacar três pontos levantados pelo Prof. Viola:

1. Incentivos à indústria automobilística.

O argumento é sempre o de que as indústrias geram empregos e possuem um grande número de empresas satélites, etc. A política de incentivos peca em dois aspectos: Primeiro, porque não temos nenhuma indústria efetivamente nacional, nem produtos nacionais, apenas fabricados no Brasil. Segundo, porque estamos deixando de lado o transporte coletivo e incentivando a criação de veículos de uso individual, gerando toda uma série de problemas para os municípios (trânsito, poluição, etc.). O incentivo deve ser dado para a produção de veículos de transporte coletivo, que vai desenvolver uma nova cadeia de produção e geração de empregos. Acredito também que devemos iniciar um estudo para identificar novas possibilidades de transporte público, para atender necessidades diferentes para as diferentes regiões do país.

2. Hidroelétricas.

Em determinadas regiões, a hidroelétrica pode ser uma excelente opção. Não há necessidade de se criar superhidroelétricas como Itaipú, por exemplo, e sim estruturas menores para atender determinas regiões. A tecnologia atualmente permite a geração de energia com muito mais efetividade e menor comprometimento ambiental.

3. Energias solar e eólica.

Tendo em vista o tamanho continental do país, podemos utilizar estas duas formas de geração de energia em diferentes locais. Novas tecnologias estão sendo desenvolvidas em outros países, enquanto no Brasil apenas produzimos ou importamos equipamentos defasados.

É necessário urgente desenvolver pesquisas que viabilizem a produção de estruturas e equipamentos de ponta, não apenas na captação mas também no armazenamento e distribuição da energia produzida.

Finalmente, cabe destacar que a imprensa também apresenta diferentes reportagens sobre a mudança climática dependendo dos interesses comerciais envolvidos. Já vi reportagens, por exemplo, defendendo hidroelétricas porque “a área que vai ficar debaixo da água já fica coberta durante metade do ano”. O autor esqueceu de informar que a área tem nome: várzea. E que esta área, devido ao vai-e-vem da água, se torna o melhor terreno para plantação em função dos nutrientes que o rio carrega. E por aí vai a imprensa…

Um abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somente comentários respeitosos serão aceitos, incluindo críticas, sugestões, dúvidas, elogios, opiniões etc.